Aviso Site sobre uso de Cookies:

A proteção dos dados pessoais é importante para o IIA Brasil. Usamos cookies para analisar o tráfego do site e assim melhorar os nossos serviços. A continuação do uso do nosso site, sem alterar as configurações do seu navegador, confirma a sua aceitação desses cookies.
Para mais informação, consulte a nossa política de cookies.


CONCORDO

HOME > Notícias > Como você responde: "O que os auditores internos fazem?"

Como você responde: "O que os auditores internos fazem?"

Como você responde: "O que os auditores internos fazem?"
25/02/2021



Pouco antes do início da pandemia, minha esposa e eu nos mudamos para uma parte diferente da Flórida. Viver em uma nova comunidade pode ser gratificante, porque você conhece novas pessoas e faz novos amigos. Conforme você se familiariza com os outros, surge a inevitável pergunta: "com o que você trabalha?"

Obviamente, eu poderia dizer que sou CEO ou um executivo da associação. Mas eu ainda instintivamente (e orgulhosamente) proclamo que "sou um auditor interno!"

Muitas vezes, a primeira reação é uma piada, como "por favor, não audite meus impostos" ou "aposto que você é popular no trabalho". Não posso deixar de me lembrar de uma entrevista de rádio ao vivo que fiz há vários anos. O anfitrião abriu a entrevista dizendo: "conheça um auditor em um coquetel e de repente você pode sentir que precisa de um drink fresco."

Embora o apresentador de rádio estivesse claramente envolvido em um pouco de leviandade, havia mais do que um grão de verdade em seu retrato de nossa profissão. Todos nós ouvimos as piadas nos retratando como tediosos, intimidantes ou até mesmo chatos. Obviamente, não queremos pessoas correndo para a tigela de ponche a cada vez que somos apresentados. Tem que haver uma maneira melhor.

Felizmente, penso que a solução pode ser simples, se estivermos alinhados e preparados quando a pergunta surgir. Você provavelmente já ouviu falar de "elevator pitch", um discurso de 60 segundos (ou menos) para um novo conhecido sobre quem você é e o que você faz. Um pitch de elevador é normalmente usado quando se tenta conseguir um emprego ou fechar uma venda, mas acho que pode ser uma ótima ferramenta para moldar ou mudar percepções sobre a profissão de auditoria interna.

Obviamente, em uma pandemia, não estamos andando muito em elevadores hoje em dia – certamente, não com outras pessoas. Mas isso não significa que a pergunta ainda não esteja sendo feita: "o que os auditores internos fazem?"

Responder não deve ser difícil. Entre outras coisas, ajudamos a melhorar as operações, damos conselhos aos CEOs e outros, e frustramos os fraudadores nefastos. Nunca vi um auditor pular prédios altos em um único salto, mas fora isso, não há muito no mundo dos negócios que não abordemos uma hora ou outra.

Como o autor e guru de gestão empresarial Tom Peters disse em sua apresentação em uma Conferência Internacional do IIA há alguns anos, "a auditoria interna deve ser a profissão mais legal do mundo!" Se você é um auditor interno, você pode muito bem concordar com essa afirmação. Mas como convencemos os outros disso?

Fazer o “elevator pitch” perfeito não acontece por acidente, ou todos já estaríamos fazendo isso. Mas abraçar algumas técnicas comprovadas pode melhorar rapidamente sua capacidade de causar uma forte primeira impressão sobre você e sua profissão. Siga essas dicas e você pode se pegar sendo convidado para mais alguns eventos (socialmente distantes)... ou talvez para uma suíte executiva, para uma conversa mais séria sobre auditoria interna.

Quando postei o primeiro artigo do blog sobre esse tema em 2014, apresentei oito dicas para fazer um “elevator pitch” forte e nítido sobre o que os auditores internos fazem.

Chame a atenção deles com a primeira frase. As primeiras impressões são importantes e a forma mais fácil de evitar que o tom do seu “elevator pitch” soe enlatado é começar com uma introdução tão interessante que seu público comece a fazer perguntas. Acredito na Definição de Auditoria Interna oficial do IIA, mas há um momento e lugar para tudo e este não é o momento para citar definições formais. De forma consistente com o título do meu próximo livro, podemos até nos descrever como "agentes de mudança", quando discutimos auditoria interna com alguém completamente desinformado sobre a profissão.

“Curto e simples” é melhor do que “impressionante e complicado”.  Nunca esquecerei de ouvir um “elevator pitch” na tentativa de conseguir um emprego há alguns anos. Ainda não sei exatamente qual trabalho a pessoa queria, mas soou algo como "análises multipreditivas dos efeitos bilaterais da modulação das flutuações do cache da singularidade quântica". A lição aqui é tornar o complexo simples, não confundir seu público. Então, deixe o jargão de auditoria lá no departamento de auditoria interna. "Melhoramos as operações e protegemos os ativos" é muito mais atraente e claro para um público desinformado do que "prestamos avaliação geral sobre a eficácia dos controles internos e do gerenciamento de riscos".

Coloque no papel. Anote tudo o que você gostaria de dizer, depois vá modificando até restar o essencial. Leia em voz alta para si mesmo e ajuste as palavras, até que flua suavemente. Então, dedique-se a decorá-lo.

Não pode parecer ensaiado.  Embora você absolutamente deva memorizar os pontos principais, seu tom nunca deve soar ensaiado. Confiar apenas na memorização não funcionará de qualquer forma. Você precisa ser capaz de fazer ajustes improvisados, para se encaixar em cada situação específica. Sem uma preparação cuidadosa, isso pode ser mais difícil do que você pensa. O “elevator pitch” não será o mesmo para um membro do Rotary Club como seria para um membro do clube de carteado.

Nem tudo é sobre você. Discursos de elevador causam uma primeira impressão, mas podem ser usados para outros objetivos. Se você aperfeiçoar essa habilidade, você também pode usá-la para caçar empregos ou formar contatos comerciais importantes dentro de sua organização. Seja o seu “elevator pitch” for sobre auditoria interna ou sobre seu hobby favorito, ele deve ser adaptado às necessidades do público, não às suas. Você quer que se lembrem de você como alguém que se importa e que pode ajudar, não como alguém com um ego.

Um é bom, dois são melhores.  Eu tenho falado sobre um “elevator pitch” de 60 segundos, mas ele não é apenas para elevadores. Você pode usar essa técnica durante o almoço, em aeroportos, ou até mesmo na fila para aquela tigela de ponche. Você precisa estar preparado a qualquer hora, em qualquer lugar. E, depois de aperfeiçoar seu “elevator pitch” sucinto, não faz mal ter uma versão mais longa pronta, ou estar preparado para dar mais informações sobre qualquer coisa que você já tenha mencionado. Dois discursos são melhores do que um.

O entusiasmo é contagioso.  Se você ama auditoria interna, deixe isso à mostra. Com a atitude certa, construir confiança e entusiasmo pode ser fácil. Mas também pode ser difícil obter suporte para a auditoria interna ou confiança em suas habilidades se você mesmo não demonstrar essas qualidades.

Esteja pronto para manter a conversa fluindo. Tente terminar seu “elevator pitch” com um convite para dar ao seu público mais informações. Se você deixar a porta aberta, seu pitch de um minuto pode resultar em um convite para o escritório do CEO para uma conversa mais longa. Se o tempo permitir, você deve perguntar ao seu público sobre a profissão deles. Você pode aprender que têm algo em comum, ou que fazem parte de uma organização que poderia se beneficiar de uma função de auditoria interna forte e eficaz.

Há cerca de dois anos, postei um artigo no LinkedIn sobre nossa profissão. Ele tocou em um ponto profundo, gerando mais de 50.000 visualizações, 750 curtidas e dezenas de comentários. Isto foi o que eu postei no LinkedIn:

Da próxima vez que alguém perguntar:

  • Eu sou um auditor interno!
  • Eu sirvo minha organização para proteger e aumentar seu valor.
  • Eu modelo integridade, objetividade, confidencialidade e competência todos os dias.
  • Melhoro o gerenciamento de riscos, controles internos e governança na minha organização.
  • Sigo as Normas Internacionais do IIA ao prestar avaliação e assessoria.
  • Sou respeitado e admirado, porque sou um guardião da confiança!

Acabei compartilhando meu "credo de auditores internos" em um artigo no blog, “Internal Auditors: What Is It You Do?" Elaborei sobre os seis pontos que apresentei no post do LinkedIn da seguinte forma.

Eu sou um auditor interno! Esta primeira linha deve ser autoexplicativa. Devemos estar orgulhosos e confiantes sobre o que fazemos. Poucas profissões oferecem as oportunidades de contribuir para o sucesso de nossas organizações como a auditoria interna. Eu não tentaria me renomear, referindo-me a mim mesmo como um profissional de gerenciamento de riscos ou um "agente de mudança". Eu sou um auditor interno!

Eu sirvo minha organização para proteger e aumentar seu valor. Não estamos aqui apenas para vigiar as portas e garantir que as pessoas não saiam com os bens. Não estamos aqui apenas para garantir que outros não estejam quebrando as regras. Estamos aqui para garantir que nossas organizações atinjam seus objetivos: criar valor para acionistas/stakeholders.

Eu modelo integridade, objetividade, confidencialidade e competência todos os dias. Estes são extraídos dos quatro elementos do Código de Ética do IIA. Isso é o que defendemos como profissão e é algo que todo praticante deve expor a cada trabalho e cada interação.

Melhoro o gerenciamento de riscos, controles internos e governança na minha organização. Isso está no cerne da Definição de Auditoria Interna, articulada no Framework Internacional de Práticas Profissionais. A definição diz respeito à agregação de valor e à melhoria das operações de uma organização. Fazemos isso melhorando o gerenciamento de riscos, controles internos e governança. Simplesmente, nós tornamos nossas organizações melhores.

Sigo as Normas Internacionais do IIA ao prestar avaliação e assessoria. Todas as profissões têm normas. Elas são o que as diferencia. É por isso que devemos seguir as Normas do IIA, para garantir que a qualidade esteja lá. Também encorajo que os auditores internos que ganharam certificações do IIA falem delas com orgulho. Não se deve ter vergonha de proclamar: "sou certificado pelo IIA para demonstrar a proficiência que tenho em exercer minhas responsabilidades como auditor interno profissional".

Sou respeitado e admirado, porque sou um guardião da confiança! Esta é uma afirmação maravilhosa para qualquer profissional fazer. Nem todo auditor interno pode ser respeitado e admirado como guardião da confiança, mas essa deve ser sua aspiração.

Se você está inspirado a compartilhar a linguagem motivacional do credo, um “elevator pitch” pode ser uma maravilha para mostrar sua personalidade e entusiasmo em um minuto, deixando os ouvintes querendo mais. Também pode ser uma oportunidade perdida. A escolha é sua. Esteja preparado ou, nas palavras de Benjamin Franklin, "ao não se preparar, você está se preparando para falhar".

Mais uma vez, se você tiver uma sugestão para um grande “elevator pitch” de auditoria interna, por favor, compartilhe-a aqui. Muitos de nós poderiam se beneficiar, então, aguardo seus comentários.

Richard F. Chambers, presidente e CEO do Global Institute of Internal Auditors, escreve um blog semanal para a InternalAuditor.org sobre questões e tendências relevantes para a profissão de auditoria interna.

 

Receba nossa newsletter