Aviso Site sobre uso de Cookies:

A proteção dos dados pessoais é importante para o IIA Brasil. Usamos cookies para analisar o tráfego do site e assim melhorar os nossos serviços. A continuação do uso do nosso site, sem alterar as configurações do seu navegador, confirma a sua aceitação desses cookies.
Para mais informação, consulte a nossa política de cookies.


CONCORDO

HOME > Notícias > 5 resoluções de Auditoria Interna para 2021

5 resoluções de Auditoria Interna para 2021

5 resoluções de Auditoria Interna para 2021
19/01/2021



Meu artigo anual no blog oferecendo resoluções para o novo ano assume um significado adicional agora que emergimos de um ano repleto de riscos emergentes, disrupções e incertezas. É meu desejo sincero que nunca mais vejamos outro ano tão turbulento como 2020, e estou certo de que me juntarei à grande maioria das pessoas que ficaram felizes de se despedir deste ano.

Ainda assim, aprendemos muito com os desafios enfrentados durante a pandemia. Eu seria omisso se não reconhecesse que auditores internos de todas as partes do mundo contribuíram poderosamente para ajudar suas organizações não apenas a sobreviver, mas até mesmo prosperar em 2020. Com isso em mente, aqui estão minhas cinco resoluções de auditoria interna para 2021:

Desprenda-se das memórias ruins de 2020 e aplique o que aprendemos em nossas rotinas diárias. O IIA coletou dados ao longo de 2020 e descobriu que muitas funções de auditoria interna sofreram cortes no orçamento e na equipe como resultado da pandemia. No entanto, nossa pesquisa também revelou que os CAEs atualizaram suas avaliações de riscos e planos de auditoria com mais frequência e rapidamente entraram em ação para fazer o que precisava ser feito. Isso reflete a capacidade da profissão de ser ágil, responsiva e resiliente. Devemos nos esforçar para continuar adotando essa mentalidade ágil ao longo do próximo ano e além.

Outro resultado da pandemia foi o fenômeno do trabalho remoto. Essencialmente, restringia a capacidade do auditor interno de coletar evidências por meio de inspeções presenciais das condições, documentos e outras informações críticas para a execução de nossos trabalhos. Devemos aproveitar a tecnologia para compensar e encontrar maneiras inovadoras de examinar os dados remotamente no próximo ano.

Por fim, devemos estar bem cientes de como o COVID-19 mudou fundamentalmente os riscos relacionados à gestão de talentos, cibersegurança e outras áreas importantes. Na verdade, devemos manter nossos stakeholders atualizados sobre as mudanças, tanto nítidas quanto sutis, no gerenciamento de riscos em todas as áreas alteradas pela pandemia.

Busque uma maior comunicação com o conselho. Outro avanço importante da pandemia foi uma apreciação crescente do alinhamento entre os principais participantes do gerenciamento de riscos: o conselho, a gestão executiva e a auditoria interna. A necessidade abrupta e terrível de uma gestão de crise eficaz e da continuidade dos negócios expôs as fraquezas do controle interno e as falhas nas comunicações. Mas, provavelmente, também levou a um melhor alinhamento e governança corporativa geral, conforme as organizações se adaptaram.

Fundamentais para esse alinhamento aprimorado foram as comunicações abertas e frequentes entre a auditoria interna e o conselho. Muitas vezes, a comunicação da auditoria interna é limitada a reuniões formais com o comitê de auditoria ou com todo o conselho. Essa foi uma área de preocupação refletida em pesquisas rápidas conduzidas pelo IIA durante a pandemia. Embora os resultados da pesquisa tenham mostrado maior frequência de avaliação de riscos e atualizações do plano de auditoria, os entrevistados não previram comunicações mais frequentes com o conselho.

Em 2021, devemos priorizar manter nossos stakeholders informados de forma plena e atualizada.

Conte com zelo a história da auditoria interna. A necessidade de avaliação independente do gerenciamento de riscos nunca foi tão clara, já que a ameaça de riscos disruptivos e rápidos é mais palpável ​​do que nunca. Isso torna o valor do que a auditoria interna fez em 2020 e do que está na agenda para 2021 uma história convincente e poderosa. Devemos articular esse valor de forma consistente e apaixonada para nossos stakeholders. Mas dados do OnRisk 2021: A Guide to Understanding, Aligning and Optimizing Risk sugerem que esta pode ser uma luta difícil. Segundo o relatório:

“Os dados das pesquisas qualitativas e quantitativas do OnRisk 2021 sugerem que a avaliação verdadeiramente independente muitas vezes não existe e as fontes de avaliação são geralmente inconsistentes. Os líderes geralmente sentem que o nível de avaliação que estão obtendo é satisfatório, independentemente de sua origem. No entanto, esta abordagem laissez-faire falha em abordar o valor de um trabalho independente de avaliação.”

O valor da avaliação independente e informada deve fazer parte de nossas interações com os stakeholders.

Como observo em meu próximo livro, “Agents of Change: Internal Auditors in an Era of Disruption”, não podemos trabalhar no anonimato. Devemos conscientizar sobre nossa missão, realizações e potencial. Afinal, “agentes secretos não podem ser agentes de mudança”.

Estabeleça metas de aprimoramento pessoal. Se a pandemia nos ensinou alguma coisa, é que uma mudança dramática pode acontecer em um piscar de olhos. Um ano atrás, poucas pessoas poderiam imaginar a tamanha perda de vidas e os danos ao sustento que o vírus infligiria a bilhões de pessoas em todo o mundo.

Em um artigo anterior do blog, observei que o isolamento criado no ambiente de trabalho em casa me forçou a reexaminar o estado de minha carreira e mudou minha perspectiva sobre o equilíbrio entre trabalho/vida pessoal. Tenho certeza de que a maioria dos outros já passou pelo mesmo exercício de busca interior. Agora é a hora de avaliar nossas condições físicas, emocionais e de carreira, e definir metas claras para melhorar cada uma.

Busque ser um agente de mudança. É fascinante e até bobo, de certa forma, pensar que o início de um novo ano nos oferece uma folha em branco. Na verdade, é apenas mais um dia. No entanto, cada novo ano é um marco em nossa jornada pessoal e profissional. A passagem da meia-noite de 31 de dezembro trouxe um grande alívio quanto à incerteza e à promessa do ano que se aproxima. Também serviu como uma renovação de espírito e energia, que impulsiona nossa ambição e desejos por coisas maiores.

Encorajo você a abraçar esse senso de expectativa e promessa todos os dias. Pegue esse espírito e aplique-o em suas interações diárias. Aproveite a energia para inovar e melhorar o serviço prestado à sua organização. Todos nós devemos nos esforçar para fazer mais do que apenas sobreviver a cada dia. Devemos, consciente e deliberadamente, ver cada dia como uma oportunidade para tornar as coisas melhores.

Devemos encarar o desafio de nos tornarmos agentes de mudança.

Como sempre, aguardo seus comentários.                  

 

Richard F. Chambers, presidente e CEO do Global Institute of Internal Auditors, escreve um blog semanal para a InternalAuditor.org sobre questões e tendências relevantes para a profissão de auditoria interna.

 

Receba nossa newsletter