Aviso Site sobre uso de Cookies:

A proteção dos dados pessoais é importante para o IIA Brasil. Usamos cookies para analisar o tráfego do site e assim melhorar os nossos serviços. A continuação do uso do nosso site, sem alterar as configurações do seu navegador, confirma a sua aceitação desses cookies.
Para mais informação, consulte a nossa política de cookies.


CONCORDO

HOME > Notícias > A importância dos testes de auditoria

A importância dos testes de auditoria

A importância dos testes de auditoria
25/01/2022



Por Hassan Khayal

Os auditores internos são conhecidos por sua revisão rigorosa dos processos organizacionais e controles internos, e os testes de auditoria são onde essa habilidade realmente se manifesta. Especificamente, o auditor avalia a adequação e eficácia dos processos e controles durante esta fase da auditoria.

O teste de adequação consiste em verificar se o controle interno em vigor é apropriado e se é capaz de cumprir a função para a qual foi desenvolvido. Por outro lado, a eficácia refere-se a se o controle está realmente funcionando como pretendido. O controle pode ser adequado para sua função, mas, se não estiver sendo implantado corretamente ou de forma alguma, não será capaz de entregar os resultados pretendidos.

Existem várias maneiras de realizar testes, que podem incluir:

  • Observação ou passo a passo, onde os auditores monitoram os clientes de auditoria enquanto eles realizam as funções ou – se isso não for possível – onde as auditorias simulam a transação, para poder testemunhar em primeira mão o processo e os controles, conforme eles ocorrem.
  • Inspeção, que incluiria a revisão, feita pelo auditor, de documentos e registros de transações relevantes. Exemplos de inspeção incluem revisão de pedidos de compra, notas de entrega e faturas. Este é o método de teste mais comum.
  • Reperformance ou recálculo, que também é um método de teste comum. Envolve o auditor refazer o trabalho do zero, para comparar os resultados do auditor com os resultados originais.
  • Confirmações, que podem incluir o auditor validar os resultados de documentos gerados internamente em comparação com uma fonte independente, como comparar o livro de caixa interno com o extrato bancário ou comparar o livro de contas a receber com um extrato de conta fornecido por um fornecedor.

O teste de controles internos geralmente visa validar certos critérios sobre os dados de teste, tais como:

  • Completude, referindo-se a se os dados de teste incluem todos os dados relevantes, sem dados omitidos.
  • Ocorrência, que valida que as transações reportadas realmente ocorreram e não são fictícias.
  • Exatidão, para verificar se os dados reportados estão corretos e são representativos dos detalhes corretos das transações ocorridas.
  • Existência, garantindo que as transações ocorridas estejam refletidas em sua capacidade física.

O tipo de teste selecionado geralmente corresponde aos critérios que estão sendo testados. Os testes devem ser selecionados com cuidado, para que possam gerar resultados que respondam à consulta em questão. Um erro comum é conduzir um teste irrelevante. Para evitar o desperdício de recursos e orçamento de auditoria, as seguintes considerações são úteis ao planejar o teste de auditoria:

  • Comece a fase de planejamento de teste documentando claramente o processo a ser testado e os controles internos relacionados a ele. Essa primeira etapa, por si só, deve fornecer uma visão sobre se o controle é adequado.
  • Antes de selecionar e documentar os testes de auditoria, descreva por escrito o objetivo pretendido dos testes de auditoria, para verificar se o objetivo pode ser cumprido com o teste pretendido.
  • Inclua pontos de ação no plano de teste, usando terminologia de auditoria como "confirmar" ou "validar" e tornando os procedimentos de teste o mais detalhados possível, em vez de escrever procedimentos de teste vagos, como "revisar" ou "verificar".

Os procedimentos de teste devem ajudar o auditor a determinar se o controle em questão é, de fato, eficaz. Os resultados dos procedimentos de teste também apoiarão as conclusões do auditor, quando chegar o momento de reportar as exceções de auditoria observadas.

Não ter corroboração suficiente e precisa para respaldar as descobertas pode comprometer a credibilidade e o profissionalismo da auditoria interna. Em última análise, a solidez do teste de auditoria pode ter um impacto sobre se o auditor e a equipe de auditoria estão bem-posicionados como conselheiros confiáveis para o cliente de auditoria e a organização.

 

 

Copyright © 2021 de The Institute of Internal Auditors, Inc. (“The IIA”).  
Todos os direitos reservados.  

  

Foi obtida permissão do detentor dos direitos autorais, The IIA, 1035 Greenwood Blvd., Suíte 401, Lake Mary, FL 32746, EUA, para publicar esta reprodução, que é igual ao original em todos os aspectos materiais, a menos que aprovada como alterada. 

  

Este documento foi traduzido por INSTITUTO DOS AUDITORES INTERNOS DO BRASIL em 16 DE DEZEMBRO DE 2021.

Receba nossa newsletter