HOME > Notícias > Congresso de auditoria registra participação recorde e valoriza profissão

Congresso de auditoria registra participação recorde e valoriza profissão

Congresso de auditoria registra participação recorde e valoriza profissão



O Rio de Janeiro recebeu a maior concentração de auditores internos da história do País. Mais de 30 painéis, com nomes como o procurador da República, Deltan Dallagnol e o diretor de Governança da Petrobras, João Elek atraíram cerca de 800 participantes ao Riocentro, entre os dias 26 e 29 de novembro, com o intuito de debaterem temas de auditoria interna e outros relacionados como ética, combate a corrupção, prevenção a fraudes e tecnologia. O evento superou todas as expectativas de público e de cobertura da imprensa, confirmando a fase histórica que vive o segmento de auditoria no País.

Na abertura do evento, o procurador da República, Sérgio Pinel fez um alerta sobre a ameaça que os mecanismos de colaboração premiadas passaram a sofrer com potenciais recusas por parte do Supremo Tribunal Federal. "É preciso que se tenha garantias jurídicas para cumprirmos os acordos valiosos de colaboração, que se tornaram vitais no processo de investigação de crimes de corrupção de relevante amplitude", disse Pinel.

Outro grande nome do evento, foi Deltan Dallagnol, procurador da República e coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato. Em ampla coletiva de imprensa, o membro do Ministério Público convocou a população a provocar uma renovação nas eleições do ano que vem. "O congresso atual não aprovará medidas anticorrupção. A alternativa é votar em pessoas que aprovem e fazer de 2018 um marco na história", sinalizou Dallagnol.

Já o diretor de Governança e Conformidade (DGC) da Petrobras, João Elek anunciou que a estatal deverá alcançar o nível 2 de governança da B3 em até duas semanas. "A expectativa é que o anuncio saia logo, pois já foram cumpridos todos os trâmites, faltando apenas a adoção das medidas pela bolsa", disse. O executivo também ressaltou os investimentos em auditoria feitos nos últimos anos. "A auditoria interna necessita atualizar os processos, caminhar junto e trazer valor para a organização. Ela é essencial para a saúde e sucesso da empresa", afirmou.

Para Braselino Assunção, diretor-geral do IIA Brasil - Instituto dos Auditores Internos do Brasil - entidade promotora do Conbrai, o nível das palestras superaram as expectativas dos congressistas e comprovaram que a auditoria interna está hoje nas principais discussões de gestão e governança das empresas privadas e públicas no País. "São pouquíssimos eventos corporativos que conseguem reunir, por quatros dias, cerca de 800 profissionais. O sucesso do congresso é sinal claro de que o Brasil busca dar um passo a frente nas suas estruturas de gestão. Certamente o auditor é um dos responsáveis por esses avanços", refletiu Assunção.

Além de dezenas de painéis sobre auditoria interna, governança corporativa, riscos, compliance, ética, combate à corrupção, prevenção a fraudes e tecnologia, ocorreram debates que reuniram diretores de respeitadas corporações. Executivos do Hospital Israelita Albert Einstein, da Coimbra Business School de Portugal e da Sabesp, analisaram os desafios e oportunidades da auditoria interna como forma de consultoria, algo além do trabalho contábil e investigativo.

Em outro momento, um time formado pelos coordenadores dos comitês de auditoria Jerônimo Antunes (da Petrobras, BR Distribuidora), José Écio Pereira (Grupo Votorantim) e Jaime Cervatti (Grupo Boticário), abordaram a relação entre comitê de auditoria e auditoria interna.

A participação do conselheiro da Petrobras e da BR Distribuidora, foi destaque na imprensa. O executivo disse a jornalistas que é preciso mostrar a todos que as mudanças efetuadas na governança da empresa realmente são eficazes e duradouras. "Ações que estamos implementando estão no estatuto social, no regimento interno e a estrutura está montada de uma forma em que; quem quiser mudar mais à frente vai deixar trilhas", alertou Antunes.

No último dia do encontro, o sócio-líder da área de Risky Advisory da Deloitte, Paulo Vitale, mediou a questão dos cinco pilares de riscos empresariais, com executivos do IIA Brasil, da Eletrobras e da Avibras Indústria Aeroespacial.

A plenária internacional teve a presença do americano, Norman Marks, um dos maiores influenciadores globais de auditoria. Em sua primeira visita ao Brasil, o especialista, autor de diversos livros sobre o tema, falou sobre o que é importante para que um auditor interno atenda as expectativas das partes interessadas. "É preciso contribuir para que a empresa dê resultados efetivos e ser ético é parte deste processo", lembrou. O consultor é considerado um dos grandes nomes da lei Sarbanes-Oxley - marco no controle de transações corporativas no mundo.

O presidente do Conselho de Administração do IIA Brasil, Rene Andrich encerrou o evento lembrando a importância de os auditores buscarem cada vez mais capacitação profissional, com cursos, congressos e certificações, pois a carreira exige dinamismo e ampliação do portfólio pessoal de expertises. Andrich também anunciou, oficialmente, Foz do Iguaçu (PR) como sede do próximo Congresso Latinoamericano de Auditoria Interna.

 

Receba nossa newsletter